Telefone: (62) 3642-9440 / (62) 3642-9442 Facebook Instagram
Estudo comprova eficácia do uso do balão intragástrico

Por Manoela Messias, da Comunicação Sem Fronteiras   A obesidade é hoje um dos maiores problemas de saúde pública do planeta e o Brasil, infelizmente, segue essa tendência mundial. Um estudo do Ministério da Saúde, divulgado em abril do ano passado, aponta que em dez anos a ocorrência da obesidade no país cresceu 60%. Segundo

0 Comentários

Por Manoela Messias, da Comunicação Sem Fronteiras

 

A obesidade é hoje um dos maiores problemas de saúde pública do planeta e o Brasil, infelizmente, segue essa tendência mundial. Um estudo do Ministério da Saúde, divulgado em abril do ano passado, aponta que em dez anos a ocorrência da obesidade no país cresceu 60%.

Segundo o levantamento, um em cada cada cinco brasileiros está acima do peso. A prevalência da doença entre a população passou de 11,8%, em 2006, para 18,9%, em 2016.

Outro estudo da Agência Nacional de Saúde (ANS) reforça esse cenário e revela que em oito anos o percentual de obesos entre os beneficiários adultos de planos de saúde no país saltou de 46,5% para 53,7%.

 

O que tem sido positivo nos últimos anos, segundo muitos especialistas da área, é o aumento da conscientização das pessoas e o surgimento de novos tratamentos mais eficazes e menos invasivos, como o uso do balão intragástrico ajustável.

Um estudo coordenado pelo cirurgião do aparelho digestivo José Afonso Sallet, que é membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e da American Society for Bariatric Surgery, atestou a eficácia do tratamento.

Segundo os resultados da pesquisa realizada em 2004 com 570 pessoas com sobrepeso e que receberam o balão intragástrico,  85% dos pacientes apresentaram bons resultados e apenas 15% insucesso. A eficácia maior foi entre as mulheres, cujo o índice de sucesso chegou a 89%, já entre os homens os bons resultados chegaram a 79% dos pacientes.

Com critérios estabelecidos para avaliar o resultado do estudo, foi considerado como insucesso uma redução menor que 20% de perda do excesso de peso inicial.

Ainda conforme as conclusões do estudo, ao final de seis meses de acompanhamento, quase metade dos pacientes (48%) reduziram o excesso de peso e o Índice de Massa Corporal (IMC). Resultados que comprovam a eficiência deste tratamento.

OPINIÃO DO ESPECIALISTA

Para o cirurgião do aparelho digestivo, Oscar Barroso, o uso do balão intragástrico tem tido muita procura devido à diversos fatores. Dentre eles a sua eficácia comprovada.

“O uso do balão para auxiliar no emagrecimento possui 80% de eficácia. Está mais divulgado devido aos casos de sucesso, está mais acessível e possui maior número de equipes fazendo o procedimento. Além disso, tem como positivo, o não uso de diversos medicamentos emagrecedores”.

 

O médico acrescenta ainda que o sucesso do procedimento depende também da associação de outros tratamentos auxiliares que envolve uma equipe multidisciplinar.

“A obesidade é uma doença complexa e multifatorial. Se você agir apenas em um fato você pode não ter o melhor resultado. Por isso é preciso abordar este tratamento por diversas frentes. Para isso que servem as equipes multiprofissionais”, diz Oscar Barroso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *