Telefone: (62) 3642-9440 / (62) 3642-9442 Facebook Instagram
Paciente revela como emagreceu com o Balão Intragástrico Ajustável

Foi o caso da empresária Maria Inês Silva, 54 anos. A maranhense de São Luís implantou o balão Spatz3, com durabilidade de 12 meses, em janeiro de 2017

0 Comentários

Por Hugo Oliveira, da Comunicação Sem Fronteiras

Emagrecer é um processo que envolve dificuldades, incômodos e superação. Mesmo seguindo uma dieta específica e praticando atividades físicas regularmente, muitas pessoas não conseguem atingir suas metas de perda de peso, seja por problemas físicos, psicológicos ou genéticos. Pacientes afetados por esse problema recorrem a ferramentas como o balão intragástrico ajustável.

Foi o caso da empresária Maria Inês Silva, 54 anos. A maranhense de São Luís implantou o balão Spatz3, com durabilidade de 12 meses, em janeiro de 2017. Com problemas graves na cartilagem de um dos joelhos e sobrepeso, ouviu de seu ortopedista a orientação de que deveria passar por um tratamento de emagrecimento.

 

A Experiência

“Estava com 94 quilos, quando o meu peso ideal era entre 65 e 67 quilos. Já tinha feito um ano de academia, contratei um personal trainer, consultei uma nutróloga e cheguei a tomar medicamentos para emagrecer. Durante oito meses não perdi mais que 7 quilos e percebi que tinha adotar outra medida para atingir minha meta que era de 23 quilos”, conta a empresária.

Temerosa em passar por uma cirurgia bariátrica, por conta dos riscos e das consequências sofridas por conhecidos e familiares, Maria Inês não sabia o que fazer. Foi quando uma amiga lhe falou sobre o balão intragástrico ajustável.

“Isso foi em dezembro. Nunca tinha ouvido falar nessa alternativa. Pesquisei durante uma semana, procurei uma médica experiente para tirar todas as minhas dúvidas. Em 15 dias eu optei por colocar o balão intragástrico ajustável”, revela Maria Inês.

 

Adaptação

Durante o processo de emagrecimento, Maria Inês frequentou nutricionista, psicólogo e sua médica. Segundo ela, a principal dificuldade foi a questão psicológica. “Aprendi a mastigar direitinho os alimentos e a comer pouco. Tive que me adaptar. Hoje vou ao restaurante, como primeiro um prato de salada e depois um peixe. Larguei o arroz de vez, que me fazia ganhar peso. Sofri, não foi fácil suportar o incômodo, mas aprendi muito e estou satisfeita”.

Em sete meses a empresária ultrapassou sua meta de emagrecimento prevista para um ano, foram 27 quilos perdidos. Segundo Maria Inês, foi muito rápido. “Jamais conseguiria perder tudo isso sozinha, até pela questão da minha idade. Como já tinha ultrapassado a quantidade de peso perdida que eu precisava, a médica optou por remover o balão”, revela.

Em razão do problema no joelho e problemas de estômago, o ortopedista de Maria Inês a orientou para não realizar atividades físicas durante o tempo que permanecesse com o balão. “Mesmo sem fazer atividade, perdi quase 30 quilos. Após a remoção, comecei a me exercitar novamente. Contratei uma personal trainer e acho que continuo perdendo peso. Não monitoro, mas me sinto mais leve”, conta entusiasmada a empresária.

Além disso, ela revela que a disposição física melhorou muito. “Hoje consigo subir escadas, o que antes era muito complicado. Também meu problema de ronco sumiu e a qualidade do meu sono melhorou. Atualmente, tenho mais qualidade de vida hoje e estou com a autoestima lá em cima. Indico para todos, mas além de muita pesquisa, é preciso coragem para enfrentar as adversidades que virão”, observa.

 

Antes e Depois da Maria Inês com o Balão Intragástrico Ajustável

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *